Número médio de contágio é de 1.04 por cada infetado

O número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado, medido em função do tempo (o chamado Rt), passou de 0.95 para 1.04 casos, variando entre 0.99 na região Norte e 1.2 na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, a Ministra da Saúde, Marta Temido, explicou que estes números mostram que o pico máximo de incidência da infeção já terá passado, mas não é altura para abrandar as medidas de contenção da transmissão da COVID-19.

Tendo em conta a subida no Rt, que difere consoante as regiões do país, a governante voltou a apelar à “paciência, disciplina e capacidade de nos adaptarmos ao que é viver com a infeção”.

Marta Temido lembrou que “a doença não está obviamente ultrapassada” e que, por isso, é necessário haver um cumprimento “escrupuloso de todas as medidas de saúde pública”, como o distanciamento social, a higienização das mãos e das superfícies e a etiqueta respiratória. “Não haverá um regresso à normalidade tal como a conseguíamos”, referiu, acrescentando que será necessário viver com a doença até que seja descoberta uma vacina.

De acordo com o último boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde, Portugal regista 23.864 casos confirmados de COVID-19, 903 óbitos e 1.329 casos de recuperação da infeção provocada pelo novo coronavírus.

Fonte: DGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *